27 de out de 2009

Vanguardas artísticas

Esclareça, recorrendo à leitura da imagem, o sentido inovador do abstraccionismo no âmbito dos movimentos de vanguarda da primeira metade do século XX.


Composição com vermelho, amarelo e azul
(1939-42)


Piet Mondrian
Londres, Tate Gallery

Um comentário:

Moura disse...

Documento – Composição abstracta geométrica: intercepção de linhas rectas – horizontais e verticais – formando quadrados e rectângulos; utilização das cores primárias – vermelho, amarelo e azul – e de «não cores» – branco e negro; espaço bidimensional; obra representativa do abstraccionismo geométrico, movimento de vanguarda do início do século XX.

Abstraccionismo, tendência artística que se afirma nos mais importantes meios artísticos
europeus, no âmbito da diversidade de inovações formais no campo artístico – maioritariamente figurativas – desenvolvidas nas primeiras décadas do século XX. Criação de uma linguagem autónoma, não figurativa, liberta da relação com a realidade visível, e afirmação da obra de arte como um objecto independente dessa realidade.
Diversidade de percursos e de opções entre os pintores: concepção da pintura, em Kandinsky,
como meio privilegiado de expressão do consciente e do inconsciente, através de cores vivas e de formas abstractas – abstraccionismo lírico –, analogia entre a expressão pictórica e os ritmos musicais; radicalização do abstraccionismo com Mondrian – abstraccionismo geométrico, movimento visando a criação de uma linguagem puramente plástica que, através do equilíbrio entre formas geométricas simples e cores primárias e neutras, reflectisse a ordem e a harmonia universais.