6 de jan de 2007

Discurso de Salazar aos corpos directivos da União Nacional (1932)

"A Ditadura surgiu contra a desordem nacional. Era um dos expoentes dela o parlamentarismo e a desregrada vida partidária: a nossa realização da democracia foi, sem contestação, lamentável. A culpa era ou do regime parlamentar ou dos seus servidores: quanto mais absolvermos estes, mais culpas encontraremos naquele [...].
O processo da democracia parlamentarista está feito; a sua crise é universal; supõem ainda alguns que esta é passageira e provocada pelas dificuldades igualmente transitórias do presente momento; os restantes crêem que findou para sempre a sua época. A Ditadura Nacional, precursora em mais de um ponto de um largo movimento de renovação política, declarou dissolvidos os partidos; estavam porém neles, pode-se dizer, as maiores forças políticas da Nação. Alguns homens públicos tiveram a intuição do momento e vieram colaborar com a Ditadura; muitos alhearam-se, [...] muitos seguiram clara ou encapotadamente o caminho das conspirações e das revoltas e têm sido sucessivamente reduzidos pelo Exército à impotência. [...]
Nós temos uma doutrina e somos uma força. Como força, compete-nos governar: temos o mandato de uma revolução triunfante, sem oposições e com a consagração do País; como adeptos de uma doutrina, importa-nos ser intransigentes na defesa e na realização dos princípios que a constituem. [...]
Alguns homens dos antigos partidos supõem-se ligados por uma disciplina que, no estado actual da política portuguesa, devo dizer, já nada significa. Independentemente disso, eles não sabem se devem trabalhar com a Ditadura e ingressar na União Nacional: este problema, porém, não pode ser resolvido por nós. A União Nacional vai ser uma espécie de padrão por onde se hajam de aferir a inteligência e o patriotismo dos homens."

Oliveira Salazar, Discursos (1928-34), vol. 1, Coimbra, Coimbra Editora, s.d.



Analise as afirmações de Salazar no quadro da oposição do novo regime à república parlamentar.

As três bailarinas (1925)

Picasso, Londres, Tate Gallery


Recorrendo à leitura da imagem, esclareça o contributo de Picasso para a modernidade nas artes plásticas, na primeira metade do século XX.

3 de jan de 2007

Razão de ser...

Só faltava mais esta!! Com tanto blog criado neste mundo o "Arqueólogo-Moura" ainda havia de querer mais um, como se já não lhe chegasse o http://clubedearqueologia.blogspot.com e o http://examesecompanhia.blogspot.com !
Este novo espaço dirige-se aos alunos que se encontram no 12ºano de escolaridade a frequentar a disciplina de História e que pretendem auto-verificar as suas aprendizagens respondendo a várias questões que serão colocadas a um ritmo que se deseja semanal. Os critérios de correcção serão colocados uma semana depois, no espaço reservado aos comentários. O aluno confronta com a sua resposta e vê se foi ao encontro dos critérios, ou se fugiu ao cerne da questão.
No final de cada post será colocado um "marcador" no qual se fará referência ao ponto da matéria a que diz respeito. Deste modo, o aluno ao aceder a um marcador terá todas as perguntas sobre essa matéria.
Agora é só mesmo esperar pelas perguntas para depois orientar as respostas... e o preciso e precioso estudo!!!